quarta-feira, 29 de outubro de 2014

BioMarine, a maior plataforma de empresas ligadas à biotecnologia do mar


Cavaco Silva e o Príncipe Alberto II do Mónaco vão estar juntos, em Cascais, por ocasião da Convenção da BioMarine, para a inauguração da plataforma que tem como objectivo promover a exploração dos recursos marinhos.

O futuro de Portugal passa pelo mar, uma ideia que já foi defendida pelo próprio Presidente da República e que serve de mote à BioMarine. 




Depois de Nantes 2011, Londres em 2012 e Halifax em 2013, Cascais é o centro das atenção da Biotecnologia do Mar.

Porto de Setúbal: Contentores em destaque na comunicação social espanhola



O porto de Setúbal foi destacado pelo meio espanhol El Vigia como um de dois portos do Arco Atlântico Europeu que, impulsionados por novas gestões comerciais, contabilizam taxas de crescimento notáveis no movimento de contentores e novos cenários de conectividade. A opinião foi expressa por Fernando González Laxe, que presidiu o organismo Puertos del Estado, de Abril de 2009 a Janeiro de 2012.

No artigo, que aborda a explosão assimétrica do sistema portuário do Arco Atlântico Europeu, refere que o desenvolvimento do comércio mundial de contentores tem sido muito desigual. No campo marítimo-portuário, as estratégias deveriam no sentido de responder às exigências de conectividade da rede do transporte marítimo e capacitar a actuação dos portos num novo contexto mais global, mais aberto e mais competitivo.

Neste contexto, o Porto de Setúbal, face ao crescimento que tem vindo a registar, passa a integrar o grupo de portos intermédios, a par dos franceses Brest e Bordéus, e o espanhol Gijón, citado conjuntamente com Setúbal, um resultado justificado por decisões corretas de reconhecimento dos factores críticos e da sua conversão em conjunturas positivas.


Cargo

João Franco: "O nosso objectivo para este ano é exceder 1,2 milhões de TEU's"



Mais dia, menos dia, o marco iria ser alcançado. Foi agora. O porto de Sines anunciou que o Terminal XXI ultrapassou, pela primeira vez na sua história, o milhão de TEU´s movimentados, marca que foi alcançada no dia 21 de Outubro.

Aproveitando a presença de João Franco, presidente da APS, na Conferência Internacional dedicada à aplicação de sistemas inteligentes nos Transportes e na Logística promovida pela Logistel, a CARGO recolheu, em primeira mão a reacção do líder do porto de Sines a este marco histórico. 

Visivelmente satisfeito pela chegada ao milhão, João Franco apontou logo para o futuro: "As perspectivas de futuro do Terminal são muito positivas, muito entusiasmantes. O nosso objectivo para o final deste ano é exceder 1,2 milhões de TEU's e para o ano bem além disso. Embora diga sempre com prudência que as organizações não crescem indefinidamente, o certo é que para os próximos anos em Sines perspectivamos anos bons".

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Portos nacionais recebem menos barcos e menos mercadorias



Ao contrário de Leixões, os portos de Sines e Lisboa movimentaram menos mercadorias no segundo trimestre do ano, muito graças ao mês de Abril. Uma evolução que contraria os aumentos que se tinham sentido desde o primeiro trimestre de 2013.
O segundo trimestre do ano foi negativo para os portos nacionais. Foram menos as embarcações que lá deram entrada e foi também mais reduzido o número das mercadorias movimentadas. O Porto de Sines foi o que registou a maior queda.

Sines, o porto que movimenta mais mercadorias em Portugal, registou um tráfego 8,2% inferior ao segundo trimestre de 2013, de acordo com os dados divulgados esta terça-feira, 14 de Outubro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). A grande descida deveu-se, sobretudo, à redução de 29% das movimentações dentro de território nacional, sendo que, contudo, também marcou um decréscimo no tráfego internacional. Este ano, Sines foi notícia devido à paralisação para manutenção da refinaria da Galp - que ainda afectou Abril.

A infra-estrutura portuária de Lisboa também sentiu uma diminuição de 7,3% das mercadorias movimentadas entre Abril e Junho deste ano face ao mesmo período do ano passado, neste caso, devido sobretudo ao tráfego internacional.

Em Setúbal e em Leixões, os sinais de tráfego foram positivos. Setúbal verificou uma subida de 16,1% no movimento de mercadorias enquanto o porto do norte alcançou um aumento de 7,4%. Ambos foram sustentados pelo tráfego internacional, já que as trocas entre portos nacionais verificaram recuos.

Apesar disto, a queda de Sines foi fulcral para que a taxa de variação do tráfego de mercadorias tenha sido negativa, na ordem dos 0,7%, fixando-se nos 20,4 milhões de toneladas no segundo trimestre do ano. Abril foi o mês que efectivamente mais contribuiu para este sentido negativo na análise homóloga.

A evolução negativa no segundo trimestre do ano contraria os aumentos que se tinham sentido desde o primeiro trimestre de 2013, ressalva o INE. 

Diário Económico. 

Investidores Turcos interessados nos Portos Nacionais.



Mais de duas dezenas de empresas portuguesas de vários sectores foram à Turquia na busca de novas oportunidades de negócio.
As concessões portuárias que se prevê serem adjudicadas nos próximos meses em Portugal despertaram o interesse de vários investidores turcos, apurou o Diário Económico junto de fonte do Governo, que não especificou a identidade desses potenciais concorrentes. A abertura para a entrada do investimento turco no sector portuário português está mais consolidada desde que, nas passadas quinta e sexta-feira, o vice primeiro-ministro Paulo Portas fez uma visita diplomática e económica à Turquia. Um dos pontos altos dessa visita foi a assinatura de um acordo de cooperação bilateral, Estado a Estado, para o sector portuário.
Segundo o Diário Económico soube, de entre as áreas de cooperação previstas nesse acordo para o sector portuário, está previsto o estabelecimento de parcerias para a construção, gestão e desenvolvimento dos portos, assim como a construção de navios e iates, manutenção e reparação naval, reciclagem de navios e construção de estaleiros navais.
O acordo sobre o sector dos portos entre Portugal e a Turquia, assinado em Ancara, capital turca, na passada quinta-feira (dia 23), determina ainda a cooperação entre os dois países no âmbito da formação profissional em áreas como segurança marítima; prevenção da poluição marinha; gestão portuária e de frotas; construção, manutenção e reparação naval; e desenvolvimento de sistemas de transporte multimodal entre os dois países.
"Espera-se ainda que este novo instrumento jurídico contribua para reforçar as ligações marítimas directas entre operadores dos dois países", refere um documento governamental sobre este protocolo, a que o Diário Económico teve acesso.
A estreia do investimento turco em Portugal, em montantes de referência, ocorreu precisamente este ano, em Julho, quando o consórcio integrado pela GPH - Global Ports Holding (Global Liman Isletmeleri) ganhou o concurso para a construção e concessão do novo terminal de cruzeiros do porto de Lisboa.
A GPH tem sede em Istambul e gere os três maiores portos comerciais e de cruzeiro da Turquia, servindo mais de 850 mil passageiros por ano e detendo uma quota de mercado de cerca de 50%. Das 55 empresas de cruzeiro que operam no Mediterrâneo, 43 escalam regularmente os portos geridos pela GPH.
A delegação chefiada por Paulo Portas integrou o secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, assim como a administração da Aicep. Ocorreram encontros com o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu; com o vice-primeiro-ministro, Ali Babacan; e com os ministros turcos dos Transportes e da Economia, na passada quinta-feira. Esta missão de Paulo Portas à Turquia foi precedida pela primeira reunião da comissão conjunta entre os dois países, a 27 de Junho. A segunda reunião teve lugar já na passada sexta-feira, na Turquia, liderada por Paulo portas e pelo ministro turco da Economia, Nihat Zeybecki. Os objectivos passaram por "estimular a relação económica para criar oportunidades para o sector privado, reforçar as exportações, facilitar o investimento e parcerias empresariais, geradoras de emprego", sublinha o documento oficial.
Durante esta visita à Turquia realizou-se também o Fórum Empresarial Portugal-Turquia, em que participaram 24 empresas portuguesas dos sectores industrial, de engenharia, arquitectura, tecnologias de informação, farmacêutica e biotecnologia.
As exportações portuguesas para a Turquia cresceram 7,6% no ano passado, para 382 milhões de euros.
Diário Económico 

MAR é o quarto maior registo da UE



O Registo Internacional de Navios da Madeira - MAR, foi o que mais cresceu nos primeiros nove meses de 2014, ocupando hoje a quarta posição entre os registos de navios da União Europeia.
Segundo a Sociedade de Desenvolvimento da Madeira, SDM, até setembro deste ano, estavam registadas 316 embarcações, mais 53 do que no final de 2013.

A SDM considera o MAR como uma das vertentes mais dinâmicas do Centro Internacional de Negócios da Madeira, onde está integrado.
A idade média dos navios registados baixou de 15,5 para 12,5 anos e a tonelagem de arqueação bruta (TAB) cresceu mais de 80%.
No que diz respeito ao tipo de embarcações que levam o registo ‘Madeira’, 214 são navios de comércio, 60 são embarcações de recreio e 42 iates. O aumento ficou a dever-se, sobretudo, aos navios de comércio.


Portos de Portugal

Porto de Sines junta-se ao clube “1 Milhão de TEUS”


A PSA Sines, empresa participada da PSA de Singapura que gere o terminal de contentores de Sines (Terminal XXI), celebrou a 23 de Outubro, pela primeira vez na história deste porto, a movimentação do seu milionésimo TEU no espaço de um ano.
O contentor da cerimónia foi carregado a bordo do navio Thasos. Cerca de 40 convidados, incluindo a Administração do Porto de Sines, diversos representantes das entidades portuárias, clientes e membros da Direcção da PSA Sines, participaram na celebração que marcou este evento memorável.
Este recorde de movimentação inicia outra era importante para o terminal, que comemorou o 10º aniversário das suas operações no início deste ano.
Um TEU, que é uma Unidade equivalente a 20 Pés (em inglês: Twenty-foot Equivalent Unit ou TEU), é uma medida standard utilizada para calcular o volume de um contentor.
Nestes 10 anos, a PSA Sines cresceu de um projecto de raiz para um terminal que está a movimentar vários navios de 14.000 TEU por semana.
Desde o início das obras para a construção do terminal, a PSA Sines tem investindo continuamente na sua expansão e aperfeiçoamento. Até ao final deste ano, terão sido investidos mais de 200 milhões de euros em infraestruturas e equipamentos, a fim de construir instalações com equipamentos de última geração para a movimentação de contentores, pronta para o futuro.
Quando a expansão em curso terminar, no final de 2014, o terminal terá um cais de 940 metros de comprimento e uma área de armazenagem de 35 hectares. O terminal estará equipado com 9 gruas de cais de última geração e 26 gruas de parque. A capacidade de movimentação anual total crescerá para 1.700 Milhões de TEU.
Segundo nota da assessoria de imprensa da PSA Sines, «a par dos investimentos, também o emprego está a aumentar. No final deste ano, a PSA Sines empregará cerca de 750 trabalhadores, tornando-a numa das maiores empresas empregadoras da região».
John Phillips, Director geral da PSA Sines, expressou a sua gratidão aos trabalhadores, Governo, autoridades e clientes pelo seu continuado apoio que permitiu à PSA Sines posicionar-se como um dos principais portos de contentores do Sul da Europa e o maior hub Atlântico da Península Ibérica.

Chefe ensina a cozinhar fanecas e cavalas na Azenha do Mar


Um chefe de cozinha irá ensinar a confeccionar pratos com faneca e cavala, no dia 15 de Novembro, em duas aulas de culinária que decorrerão no Gabinete de Apoio às Comunidades Piscatórias da Azenha do Mar, localidade do litoral odemirense, na freguesia de S. Teotónio.
As aulas de culinária decorrerão em dois horários, das 11 às 12 horas e das 15 às 16 horas. A participação será gratuita, mas limitada a 15 participantes por aula. As inscrições deverão ser efectuadas através do contacto 969 520 050 ou do e-mail associacaocdp_azenhadomar@hotmail.com
As aulas de culinária são uma iniciativa da Docapesca – Portos e Lotas SA, em parceria TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado do Concelho de Odemira e  EPO – Centro Empresarial do Sudoeste Alentejano.

Com o lema “O melhor do nosso mar!” e no âmbito do Cabaz do Mar, esta iniciativa pretende divulgar e promover a utilização da cavala e da faneca, duas espécies capturadas na costa odemirense e de grande potencial gastronómico.

Cabaz do Mar foi lançado este ano pela Associação Cultural e de Desenvolvimento de Pescadores e Moradores da Azenha do Mar, com o objectivo de aumentar o rendimento dos pescadores e diversificar a oferta ao consumidor, reduzindo as rejeições das capturas e o circuito comercial entre produtor e consumidor.
A Associação é responsável por comprar, amanhar e distribuir o peixe junto dos consumidores que solicitam o serviço. Um terço do peso do Cabaz do Mar, ou seja, um quilo, é sempre constituído por espécies menos procuradas pelos consumidores, como são o caso da faneca e da cavala.


Portos movimentaram 61 milhões de toneladas até Setembro


Entre Janeiro e Setembro deste ano, a globalidade dos portos nacionais do Continente movimentou um total de 61 milhões de toneladas, número que representa um crescimento homólogo de 2% e, por conseguinte, novo recorde no período em questão. 

Por segmentos, é a carga geral aquela que mais relevância continua a ter (vai ganhando mesmo importância), com um total de 26,7 milhões de toneladas (mais 11,4%). Aqui, o destaque vai para os contentores que chegaram aos 20,4 milhões de toneladas (mais 11,9%), num crescimento galopante de 138,1%. Ainda na carga gera, o ro-ro teve 454 mil toneladas e a carga fraccionada 5,8 milhões de toneladas (mais 5,5%).

Quanto aos granéis sólidos, registaram um crescimento de 8,8%, para 13,3 milhões de toneladas, enquanto que os granéis líquidos, com 21 milhões de toneladas, caíram 11,1%.

Por portos, recordes no período para Sines, Setúbal, Aveiro e Figueira da Foz, com 27,5 milhões, 6,2 milhões, 3,4 milhões e 1,6 milhões de toneladas, respectivamente, o melhor de sempre nos primeiros três trimestres nas infraestruturas portuárias em questão. Setúbal e Aveiro são destaque, com subida de 17,6% e 16,7%. Sines cresceu 0,3% e a Figueira da Foz 0,1%.

Já o porto da capital continua a ser destaque, mas pelas razões opostas. Até setembro, movimentou 8,7 milhões de toneladas, valor que faz deste período o pior de sempre dos últimos 12 anos (menos 3,2% face a 2013). Também Viana do Castelo caiu, para as 360,6 mil toneladas (menos 5,1%). Já o porto de Leixões não teve variação face ao mesmo período de 2013, movimentando 13,2 milhões de toneladas.


Cargo

Riscos edita “Portos, Shipping, Intermodalidade e Governação”



A Riscos Editora acaba de lançar o livro “Portos, shipping, intermodalidade e governação”, da autoria de J. Augusto Felício, João Soares, Vítor Caldeirinha e Fernanda N. Ferreira.

A editora do TRANSPORTES & NEGÓCIOS dá, assim, mais um passo na sua estratégia de publicação de obras científicas e/ou de divulgação sobre as questões dos transportes e da logística. E desta fez fá-lo associada a nomes de peso no pensar e no agir no sector marítimo-portuário.

“Portos, shipping, intermodalidade e governação” é no essencial uma colectânea de textos e artigos escritos e publicados nos últimos anos sobre temas da actualidade, essencialmente dos portos e do transporte marítimo, e também de reflexões sobre os caminhos a seguir no futuro.

Os autores dispensam apresentações, reconhecidos como são os seus percursos profissionais e/ou académicos relacionados com o sector.

Os textos, datados muitos deles mas nem por isso menos ricos de ensinamentos nem desactualizados, são apresentados de forma estruturada e abordando questões como os modelos de governação dos portos, a reforma portuária, as relações dos portos com as cidades, o papel dos armadores e dos operadores, o lugar dos portos nas cadeias logísticas ou as implicações do alargamento do Canal do Panamá.

São 272 páginas plenas de ensinamentos, para ler, reler e reflectir.

Os interessados em adquirir a obra podem encomendá-la pelo e-mail riscos.editora@mail.telepac.pt. O preço de cada exemplar é de Euro 18, incluindo os portes.

A edição de “Portos, shipping, intermodalidade e governação” contou com os patrocínios da Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS) e do Conselho Português de Carregadores (CPC) e também da Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) e teve ainda o apoio da Administração do Porto de Aveiro (APA).

Portal do Mar regressa ao seu Endereço Original.



Depois de termos estado em PortalDoMar.org, decidiu-se regressar ao Formato Original e ao respectivo Endereço. Iremos continuar com o Projecto do Portal do Mar, porque o Mar será sempre a nossa prioridade enquanto riqueza deste país com Tradição Marítima e um dos Mares mais ricos em todos os aspectos a nível mundial.

Por isso continue a acompanhar o Portal do Mar no seu Endereço Original que é:


www.PortalDoMar.Blogspot.pt

Obrigado a todos !