sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Peixe cria uma verdadeira obra de arte na areia.

Não sabemos se há alguma explicação lógica para este "fenómeno", mas realmente este pequeno peixe surpreendeu-nos com a sua espectacular capacidade de criar um padrão bastante trabalhado na areia.


Paquete Funchal retido na Suécia com "sérias deficiências" de segurança



O paquete Funchal está, desde terça-feira, impossibilitado de sair do porto de Gotenburgo, na Suécia, por lhe terem sido detectadas "sérias deficiências" ao nível da segurança, o que levou as autoridades portuárias a impedirem que prosseguisse a terceira parte da sua viagem inaugural, que deveria estar a decorrer nos fiordes da Noruega, depois de largar de Lisboa no dia 6 de Agosto.
As deficiências foram detectadas numa inspecção de rotina que decorreu terça-feira no porto de Gotenburgo, onde o navio está parado, depois de uma viagem de 12 dias no Cabo Norte. "Encontrámos sérias deficiências no navio. Havia tanta coisa que decidimos cancelar a inspecção", disse, a um jornal sueco, Mårten Dahl, inspector principal da Agência de Transporte Marítimo.
Os inspectores encontraram "dezenas de defeitos técnicos no navio", que incluem problemas com equipamentos salva-vidas que não estão aprovados, portas estanques que não fecham devidamente, problemas com fogo e conhecimentos de segurança inadequados por parte da tripulação.
A inspecção foi suspensa até que os problemas fossem resolvidos, tendo de decorrer nova inspecção para que a continuação da viagem seja autorizada. A bordo do paquete estariam cerca de 400 passageiros, cerca de 150 terão já optado por deixar o navio, visto que não há qualquer indicação de quando é que a viagem (inicialmente de sete dias) poderá ser retomada e o regresso ao porto tinha de ocorrer segunda-feira.
"Eles estão a tentar reparar o problema. É possível que consigam recuperar tudo hoje mas depois é preciso haver nova inspecção e isso demora um pouco mais. Não tenho nenhuma ideia ou informação de quanto tempo é que isso poderá demorar", disse, na quarta-feira à tarde, Johan Helmer, representante da empresa em Gotenburgo. Mas esta quinta-feira o navio continuava atracado no porto.
Os passageiros não se aperceberam de imediato do que se estava a passar e alguns alguns ainda chegaram a pernoitar no navio. Mas muitos acabaram por decidir abandonar a viagem, estando a ser ressarcidos do valor, que pode variar entre 1020 euros por um "deck" interior e 2900 euros por uma suite.
No site da empresa proprietária do navio, a Portuscale Cruises, há apenas uma mensagem assinada pelo "chairman", Rui Alegre, a informar os clientes e amigos que o "paquete Funchal se encontra no porto de Gotemburgo a reparar uma anomalia técnica entretanto detectada a qual está devidamente localizada e que será em breve solucionada. O navio seguirá a sua operação de cruzeiros como previsto". O JN tentou, sem sucesso, ouvir a empresa.
O navio Funchal partiu de Lisboa no dia 6 de Agosto, para a sua viagem inaugural, depois de ter estado vários meses a ser recuperado e após uma cerimónia inaugural que contou com a presença do primeiro.ministro. Inaugurado em 1961, o Paquete do Funchal fazia parte da marinha mercante portuguesa, tendo estado parado três anos. Foi entretanto comprado por esta empresa, juntamente com outros navios, que investiu 10 milhões de euros na sua recuperação. A próxima viagem seria de oito dias na Escócia, com partida dia 2 de Setembro.

Fonte: JN

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Baleia surpreende dupla em caiaques ( Com Vídeo ).


Uma dupla norte-americana foi surpreendida por uma baleia quando esta decidiu emergir a poucos metros de onde se encontravam, em caiaques, na Baía de Monterey, na Califórnia.
Giancarlo Thomae, biólogo marinho, conseguiu filmar o momento em que o animal, de 12 metros e mais de 36 mil quilos, apareceu à superfície, quase virando um dos caiaques.
A dupla tentava avistar os mamíferos aquáticos à distância, até porque as leis norte-americanas proíbem aproximações a menos de 91 metros, mas acabou por ser surpreendida por um dos animais.
“Estávamos nos caiaques tentar observar as baleias quando estas vieram ter connosco. Apesar de ser um dos maiores animais do planeta, têm uma grande graciosidade”, referiu Giancarlo.
Fonte: CM.

Aqui fica o vídeo:

PSA International é líder mundial de operadores de terminais de contentores

A consultora marítima Drewry apresentou um estudo anual sobre terminais de contentores, o qual coloca a PSA International, que gere o Terminal XXI do porto de Sines, como líder do top 10 mundial, movimentando 50,9 milhões de TEU no ano passado.
A Hutchison Port, a APM Terminals e a DP World são quem se segue no ranking, movimentando 44,8 milhões, 33,7 milhões e 33,4 milhões, respectivamente. A consultora destaca ainda que a DP World e a APM Terminals foram quem mais esteve activo no ano passado.
O estudo da Drewry mostra ainda que existem oportunidades nos mercados emergentes para os grandes operadores mundiais.

Fonte: PDP

Peniche continua a «Capital da Onda»


O PPSC – Peniche Surf Clube e Câmara Municipal de Peniche uniram-se para organizarem aquele que é o evento de referência na modalidade de SUP em Portugal, o Peniche Paddle Series powered by SET.

O Peniche Paddle Series powered by SET é uma trilogia de eventos de Stand Up Paddle (SUP), a realizar na Capital da Onda, Peniche, município que tem acolhido grandes eventos náuticos.

Fonte: PDP

Porto de Leixões entre os 125 maiores do mundo


O Porto de Leixões é um dos 125 maiores portos do mundo em movimentação de contentores e um dos 25 maiores da Europa, segundo um 'ranking' publicado por uma revista especializada e hoje divulgado.
De acordo com a revista espanhola Transporte XXI, os 632.574 TEU ('twenty foot equivalent united' - unidade de medida de um contentor) movimentados em 2012 fazem de Leixões o único porto português a figurar neste 'ranking' mundial.
Em comunicado, a Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) destaca que estes resultados fazem ainda de Leixões "o porto nacional que maior índice de crescimento conseguiu".
O porto nortenho é, também, "um dos principais na movimentação deste tipo de carga" entre os congéneres da Península Ibérica, "ocupando o 5.º lugar, apenas antecedido dos portos de Valência, Baía de Algeciras, Barcelona e Las Palmas".
Para a APDL, esta posição "ganha ainda maior relevância no contexto ibérico" tendo em conta que "os valores do Porto de Leixões resultam essencialmente de exportações e importações, enquanto os valores dos portos espanhóis são alcançados sobretudo através de contentores em trânsito (60%)".
Já este ano, no primeiro semestre, o Porto de Leixões voltou a alcançar um valor recorde de 8,5 milhões de toneladas de mercadorias movimentadas, mais 2% do que no mesmo período do ano passado e com destaque para o crescimento em TEU, de 5%, registado no período.
Segundo o 'ranking' da Transporte XXI, a lista dos maiores portos mundiais é liderada pelos portos de Xangai (China), Singapura e Hong Kong (China).
Fonte: DN

Água quente está a atrair tubarões



Temperatura da água do mar a rondar os 25 graus e a procura de alimento estão a trazer mais espécies de tubarão para as proximidades da costa.
Se a água quente do mar leva mais banhistas às praias, também é verdade que atrai mais tubarões para junto da costa. É o que está a acontecer no Algarve, com a temperatura da água do mar a rondar os 25 graus e onde, nos últimos dias, segundo relatos que chegaram ao CM, houve mais de uma dezena de avistamentos de tubarões-martelo ao largo de Albufeira, Carvoeiro, Portimão e Sagres. 

Esta espécie de tubarão não é considerada perigosa e procura, principalmente, sardinhas, cavalas e atuns. A maioria dos avistamentos ocorreu entre uma a sete milhas náuticas (entre os 1,8 e os 12 quilómetros da costa). Mas, num dos casos, foi mesmo a cerca de 20 metros da Fortaleza de Sagres, onde um pescador lúdico estava à pesca. "Era bem grande. Tinha uns três metros de comprimento e passou a uns 20 metros da costa", relatou ao CM José Rodrigues, que estava a pescar à cana com dois amigos. Os pescadores dos barcos da sardinha também têm visto vários tubarões na zona onde pescam (ver caixa).

Quem também tem registado a presença da espécie junto à costa são os tripulantes dos barcos de observação de golfinhos. "Avistámos pelo menos seis tubarões-martelo, junto a Albufeira, e dois na zona de Carvoeiro e Portimão, nos últimos dias, com cerca de três metros", revelou ao CM Nuno Cruz, da empresa Black Runner, recordando que os turistas reagem com "felicidade ao verem tubarões ao vivo". 

Também André Dias, biólogo e proprietário da empresa Wild Watch, com sede em Ferragudo, confirma que tem tido "entre três a quatro avistamentos por dia". Segundo o biólogo, "com as temperaturas da água do mar acima dos 20 graus é normal que os tubarões--martelo se aproximem mais da costa". Mas, para que os banhistas fiquem descansados, garante que "não nadam em profundidades inferiores a 30 metros".

Fonte: CM

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

O Sapal morreu após ter sido agredido por outros golfinhos do grupo



O Sapal, golfinho recém-nascido que foi encontrado morto na semana passada no estuário do Sado, ao largo de Setúbal, terá sido agredido por outros golfinhos do grupo, um comportamento inédito nesta população. Essa é a conclusão da necrópsia feita ao corpo do roaz pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), divulgada neste sábado.
Avistado pela primeira vez a 7 de Agosto, o Sapal era o mais jovem elemento da população de roazes residentes no Sado, que tem 27 golfinhos. Foi encontrado morto no dia 16, com a mãe, baptizada de Ligeiro, a tentar mantê-lo à superfície, para o ajudar a respirar. Mas já nada podia fazer.
Os técnicos do ICNF recolheram o corpo para necrópsia e encontraram múltiplas lesões internas “relacionadas com agressão violenta”, diz o instituto em comunicado. O golfinho tinha uma costela fracturada e várias hemorragias internas em diversos órgãos, incluindo na base do crânio, congestão da espinal medula e cerebelo.
O ICNF lembra que no dia anterior à detecção da cria morta foi alertado por uma das empresas de observação de cetáceos para um “comportamento estranho” de três roazes jovens com o Sapal. Dois machos de sete anos (o Cocas e o Tongas) e o irmão do Sapal (o Moisés, com seis anos), “empurravam” a cria para a superfície, fazendo algo semelhante ao que os adultos, sobretudo as fêmeas, fazem quando as crias estão em dificuldades.
“Na altura o comportamento, apesar de estranho e de nunca ter sido observado na população do Sado, foi interpretado como podendo ser um comportamento lúdico (brincadeira), tanto mais que quando a cria era observada a nadar e a respirar sozinha junto da progenitora e de outros adultos aparentava um comportamento normal”, afirma o instituto.
A agressão entre cetáceos da mesma espécie está documentada mas nunca tinha sido detectada na população de roazes residentes no Sado. O infanticídio pode, refere o ICNF, ser uma forma de induzir as fêmeas que estão a amamentar – como era o caso da Ligeiro – a entrarem novamente em cio. Mas também pode ser um comportamento lúdico, uma perturbação social ou simplesmente um caso de agressão pelo facto de as crias serem mais pequenas e indefesas.
Falta fiscalização
Não é a primeira vez que morre uma cria no estuário do Sado, onde se encontra a única população de golfinhos residente em Portugal e uma das poucas existentes na Europa. Mas cada caso é visto com preocupação por quem acompanha e chama pelo nome os roazes-corvineiros [Tursiops truncatus].
Durante o Verão não faltam barcos no estuário à procura dos golfinhos. Às embarcações com licença marítimo-turística somam-se os barcos de recreio de particulares. E nem sempre se respeitam as normas do regulamento: por exemplo, manter uma distância de 30 metros em relação ao grupo de golfinhos mais próximo, não ficar mais do que 30 minutos junto aos animais e não exceder a sua velocidade de deslocação. Há também quem se queixe da falta de fiscalização por parte das autoridades marítimas.
Quando deu a notícia do nascimento do Sapal, o ICNF lembrava que as primeiras semanas são cruciais para a sobrevivência dos golfinhos, pelo que “não é desejável que um grande número de embarcações permaneça nas proximidades do grupo”. Pedia ainda que as observações de cetáceos, uma das actividades que mais atrai os turistas ao Sado, na região de Setúbal, fossem dirigidas a outros roazes nos próximos tempos.
Agora, o INCF alerta mais uma vez os utilizadores do estuário para a necessidade de cumprirem o código de conduta de observação de cetáceos.
Fonte: Público

Descoberta nova espécie de tubarão que “anda” - ( Com Vídeo )


Uma equipa de investigadores descobriu na Indonésia uma nova espécie de tubarão-bambu, que possui várias manchas castanhas espalhadas pelo corpo e parece “andar” à medida que se desloca pelo fundo do mar, com a ajuda das barbatanas peitorais e pélvicas.
Este peixe recém-descoberto, cujo nome científico é Hemiscyllium halmahera, tem cerca de 70 centímetros de comprimento. A equipa, liderada pelo biólogo Gerald Allen, da organização não-governamental Conservation International, identificou dois indivíduos junto à ilha de Ternate, perto de Halmahera, no arquipélago de Maluku, na Indonésia.
Os tubarões-bambu (Chiloscyllium punctatum), também conhecidos como tubarões-tapete de cauda longa, são frequentes nas águas do Pacífico e do Índico, sobretudo na Austrália, Papua Nova Guiné e Indonésia. Podem atingir cerca de 1,22 metros. A espécie está classificada como quase ameaçada no Livro Vermelho da União Internacional para a Conservação da Natureza.
Na revista aqua, International Journal of Ichthyology, publicada esta semana, os investigadores descrevem a espécie agora descoberta como tendo uma coloração acastanhada, pontuada por várias manchas de cor castanho-escuro ao longo do corpo, misturadas com pequenos pontos brancos.
“Tem relativamente poucos, menos de dez, grandes pontos negros na região do focinho, um par de grandes marcas escuras na superfície ventral da cabeça, e uma marca fragmentada pós-cefálica, que consiste num grande ponto negro em forma de U, com uma margem branca mais ou menos contínua na parte mais baixa, seguida de uma linha vertical de três pequenos conjuntos de 2-3 marcas escuras em forma de polígono”, escrevem os investigadores.
Estes tubarões usam as barbatanas peitorais e pélvicas para se movimentarem no fundo do mar, enquanto procuram invertebrados marinhos e pequenos peixes para comer. A forma estranha como se movimentam pode fornecer pistas sobre como evoluíram os antepassados dos primeiros animais a andar em terra, escreve o jornal The Telegraph.

Fonte: Público

Bamboo shark Hemiscyllium halmahera (© Mark Erdmann / Wedaresort, www.wedaresort.com) from Sci-News.com on Vimeo.

Fotógrafo amador "apanhou" monstro do Lago Ness


David Elder, fotógrafo amador de 50 anos, acredita ter conseguido fotografar e filmar o mítico monstro do Lago Ness, na Escócia.
David Elder estava perto de Fort Augustus, no norte da Escócia, quando fotografou e filmou a mítica criatura do Lago Ness, segundo noticiou o "Daily Mail".
"Pelo canto do meu olho direito, apercebi-me de algo negro na água, formando uma onda semelhante às que são formadas por um barco. Estou convencido que aquilo foi causado por um sólido objecto negro submerso. A água estava totalmente quieta naquele momento e não havia qualquer outra actividade na água", descreveu o fotógrafo amador ao jornal britânico.

Fonte: JN

Hyundai Heavy pode construir 10 navios de carga para a UASC


A sul-coreana Hyundai Heavy Industries está próxima de obter uma encomenda avaliada em cerca de 1,4 mil milhões de dólares (1,05 mil milhões de euros) por parte da United Arab Shipping Company (UASC) para a construção de 10 navios de contentores, de acordo com fontes próximas do processo.


No âmbito do acordo, a UASC adquire cinco dos maiores navios de carga já construídos, cada um com capacidade de transportar 18 800 TEU (twenty foot equivalent united), mais cinco navios com capacidade de 14 500 TEU.
 
O valor do contrato pode sofrer alterações, uma vez que o pedido ainda não foi assinado, referem as mesmas fontes.

Fonte: OJE

Núcleo Museológico do Mar inaugura exposição do prestigiado fotógrafo Joel Santos


O Núcleo Museológico do Mar inaugura no dia 31 de Agosto a mostra fotográfica “Mar de Atlas”, do prestigiado fotógrafo Joel Santos.
Autor de inúmeros best-sellers na área da fotografia, Joel Santos seleccionou um conjunto de 16 fotografias, representativas do seu trabalho na área de “Oceans and Rivers”.
No dia da inauguração, Joel Santos apresentará o seu mais recente livro, “FOTOedição: O Guia Essencial de Pós-produção com Photoshop Lightroom e Adobe Camera Raw’”, e realizará uma sessão de autógrafos.
Data: 31 de Agosto a 29 de Novembro
Entrada gratuita

Lobo marinho encontrado ferido na Madeira de regresso ao mar




O lobo-marinho que deu à costa no Porto Moniz, na ilha da Madeira, com um ferimento no pescoço, já regressou ao mar depois de lhe ter sido administrado um antibiótico.

«Fizemos o que podíamos fazer, administrámos um antibiótico que tem a duração de 14 dias e agora é esperar», disse à agência Lusa o director do Parque Natural da Madeira, Paulo Oliveira.
Para o responsável do Parque Natural da Madeira, «as expectativas são positivas», considerando que a foca monge do Mediterrâneo ou lobo marinho, como é conhecido, tem probabilidade de recuperar.
Depois de ter passado o dia de terça-feira numa praia da pedra rolada junto às piscinas naturais do Porto Moniz, no norte da ilha da Madeira, e de lhe ter sido administrado o medicamento, o animal deu sinal de algum stresse e desconforto pelo que os elementos do parque decidiram remover a barreira que o circunscrevia ao lugar e deixá-lo regressar ao mar.
O lobo marinho era um macho adulto e de porte médio. Técnicos e veterinários do parque, do Centro Holandês de Reabilitação da Foca Monge de Peterburen e do CBD Habitat de Espanha acompanharam, monitorizaram e deram assistência o animal.
A foca-monge do Mediterrâneo é uma das focas mais raras do mundo onde existem cerca de 500 indivíduos.
Na Madeira, com especial destaque nas ilhas Desertas, em 1988 existiam seis indivíduos número que aumentou para cerca de 40 devido às políticas de protecção e preservação do Governo Regional da Madeira.

Fonte: TSF

Porto de Lisboa movimenta um milhão de toneladas de mercadorias por mês


O Porto de Lisboa movimentou 7,1 milhões de toneladas de mercadorias, o equivalente a uma média mensal superior a 1 milhão de toneladas nos primeiros sete meses de 2013, segundo anunciado pela administração da infraestrutura (APL) nesta quarta-feira.

Os principais contributos vieram dos segmentos de mercado estratégicos para o porto: a carga contentorizada, que representa 47% do total de mercadorias, e os granéis agro-alimentares, que representam perto de 30%. Este último regista um crescimento de 1% nos valores acumulados, com um total de 1,9 milhões de toneladas movimentadas.

De Janeiro a Julho, o Porto de Lisboa registou 1647 navios entrados a que correspondeu um gross tonnage - GT de 26,6 milhões, ou seja mais 1,7% comparativamente com igual período de 2012. No segmento dos navios de carga contentorizada, verificou-se um crescimento de 7,3% no GT, os quais (817) representaram cerca de 50% do total.
Relativamente aos valores acumulados dos terminais que movimentam granéis sólidos - o Terminal Multiusos do Beato, o Terminal Multiusos do Poço Bispo, o Terminal da Cimpor e o Terminal de Granéis Alimentares de Palença - «tiveram forte crescimento, com mais 90,9%, 13,3%, 69,3% e 28,3%, respectivamente», detalha a  mesma fonte.

No que se refere ao tráfego de granéis líquidos, a Estação de Assistência Naval do Porto de Lisboa aumentou 20,6%, o Terminal de Granéis Alimentares de Palença cresceu 19,8% e o Terminal do Barreiro subiu 55,7%.

Nos contentores, «tanto o Terminal de Contentores de Santa Apolónia como o Terminal de Contentores de Alcântara tiveram valores de tráfego de quantidade de contentores superiores ao período homólogo em 2012», refere a nota divulgada no site da APL.
Fonte: Dinheiro Digital.





terça-feira, 27 de agosto de 2013

IXV: Mergulho no mar para subir aos céus @ Vídeo


A mais recente nave espacial europeia prepara-se para fazer um teste crucial ao largo da costa da Sardenha. A ideia é, precisamente, identificar limites. Cada passo é minuciosamente analisado. Como destaca Roberto Angelini, um dos responsáveis do programa IXV, “isto é inédito para a Europa. Daí o desafio.”
Num pequeno porto ao lado de uma base militar na Sardenha, a jornada começou muito cedo para um grupo de soldados italianos e de engenheiros espaciais. É hoje que vão proceder aos testes do denominado IXV ou Veículo Experimental Intermediário, que vai ser largado sobre o Mar Mediterrâneo. Giorgio Tumino, também à frente do projecto IXV, explica o que vai acontecer: “As condições climatéricas parecem as ideais, por isso devemos realizar o teste ainda durante a manhã. A ideia é sair agora, evacuar o espaço marítimo, garantir que não há lá ninguém. Depois, o helicóptero vai buscar o protótipo, vai sobrevoar aquela área e, a cerca de 3 mil metros de altitude, vai largar o aparelho.”
São muito ambiciosas as expectativas em torno do IXV, um protótipo que representa todo um novo capítulo tecnológico no percurso da Agência Espacial Europeia. O objectivo primordial é conceber uma pequena nave espacial, a custos muito mais razoáveis, que possa abordar a órbita terrestre de forma a aterrar ou amarar num ponto preciso. A pressão aumenta quando sabemos que o lançamento do IXV, pensado como um veículo de carga, está previsto para 2014. Segundo Tumino, “os americanos, os russos, os chineses, desenvolveram a capacidade de regressar a partir da órbita. É muito importante que a Europa também desenvolva essa tecnologia. (…) Podemos prever que, um dia, vamos conseguir operar em órbita, juntamente com a futura geração de satélites, de forma a fazer reabastecimentos, a efectuar pesquisas atmosféricas a grandes altitudes, a monitorizar catástrofes. Há inúmeras aplicações civis que podem ser benéficas para o sector espacial.”
Regressar do espaço para a Terra foi sempre desafiante, em grande medida por causa das velocidades e temperaturas envolvidas. No início, os soviéticos e os americanos conceberam cápsulas com a parte inferior quase plana, para proteger a estrutura do calor exterior. A versão europeia, chamada ARD, entrou em testes nos anos 90. Hoje em dia, os astronautas utilizam a cápsula russa Soyuz. Ao erguer uma espécie de barreira contra as elevadas temperaturas, na reentrada na atmosfera, torna-se impossível manobrá-la para controlar onde aterra. Essa é uma das vantagens do IXV, como salienta Angelini: “Durante a descida, o IXV interage com a atmosfera, ou seja, é a sua própria forma que isola o calor, criando um efeito de sustentação. Daí que seja possível guiar o veículo até um alvo muito mais específico, se compararmos com as cápsulas.”
Mas esta tecnologia tem pontos frágeis, sobretudo no que concerne o calor que se acumula nas extremidades. A NASA utilizava nos vaivéns painéis de resistência nas partes dianteira e laterais. Em 2003, esses painéis ficaram danificados durante a descolagem do Columbia. A nave não resistiu à reentrada na atmosfera. Os sete tripulantes morreram. Tumino ressalva que “o IXV é mais eficiente do ponto de vista da proteção térmica. A diferença é que os vaivéns eram feitos de vários painéis, enquanto que este é constituído de grandes estruturas. A parte dianteira, por exemplo, tem quase um metro de largura.”
Regressando ao teste do IXV: todas as atenções se concentram na abertura do pára-quedas e nos balões que têm de se insuflar no contacto com a superfície. Roberto apercebe-se de que o mergulho não correu como devia. O IXV flutua por ele mesmo, mas é suposto ser auxiliado por quatro balões laterais que asseguram a sua estabilidade, o que não aconteceu. Tanto Giorgio, como Roberto, consideram que os balões não insuflaram devido à regulação dos sensores, preparados para um impacto na água muito mais forte. Ou seja, a amaragem foi demasiado suave. “É um assunto que tem gerado muitas discussões. É preciso diferenciar entre o choque produzido pelo impacto na água e o provocado pelas rajadas de vento sobre o pára-quedas, porque têm consequências muito idênticas. Temos de conseguir distinguir as duas situações. Nós tínhamos regulado os limites para níveis muito elevados. A impressão visual que tive do que aconteceu foi que a amaragem foi muito suave, porque o pára-quedas funciona bem. Daí que o impacto tenha sido mais reduzido do que o esperado”, declara Tumino. No entanto, sublinha o seguinte: “O lado positivo é que o nosso trabalho vai tornar-se mais robusto. E esse era o objectivo: testar os limites para perceber que caminho vamos seguir.”
Fonte: Euronews.


Quebra-gelos abandona Mar de Kara sob ameaça de força


O quebra-gelos 'Arctic Sunrise' da organização ambientalista Greenpeace vai abandonar o Mar de Kara, no Ártico, depois de o capitão ter sido ameaçado pela guarda fronteiriça russa, anunciou a porta-voz da Greenpeace na Rússia.
"Ameaçando com a força, [os guardas fronteiriços] exigiram ao comandante do quebra-gelos que abandonasse o Mar de Kara. Não obstante, a Greenpeace não recua das suas posições e está na hora do protesto dos activistas contra a extracção de petróleo no Ártico", afirmou Khalimat Tekeeva.
Guardas fronteiriços russos detiveram o "Arctic Sunrise" na manhã de hoje, depois de o quebra-gelos ter entrado no domingo no Mar de Kara, no Ártico russo, sem autorização das autoridades da Rússia.
Agentes russos abordaram o navio depois de activistas da Greenpeace, com cartazes "Salvem o Ártico", tentarem, a bordo de botes de borracha, dirigir-se para o navio "Dmitri Nalivkin ", fretado pela companhia petrolífera russa Rosneft e ExxonMobil para fazer prospecção de petróleo na região.
A Administração da Rota do Mar do Norte (MNAR), a agência russa que controla a navegação nessa região, recusou vários pedidos de Greenpeace com o argumento de que o 'Arctic Sea' não foi devidamente certificado.
A Greenpeace pretende realizar acções de protesto contra a exploração de petróleo e gás pela Rosneft e ExxonMobil no Ártico, que os ambientalistas consideram uma ameaça para o ecossistema da região.

Fonte: Noticias ao Minuto.

Espinheiro marítimo pode ser próxima superfruta


A fruta do espinheiro marítimo, que nasce em abundância na região costeira da Escócia, pode ser considerada a próxima superfruta por ter uma grande quantidade de nutrientes que fazem bem à saúde.
Estas bagas são habitualmente vistas naquele país como uma erva daninha espinhosa e invasiva mas estão cheias de vitaminas, minerais e antioxidantes. Agora, investigadores da Universidade de Queen Margaret, em Edimburgo, estão a estudar formas de usá-las em bebidas e alimentos.
As bagas do espinheiro marítimo, ou Hippophae, têm mais vitamina C do que um kiwi e mais vitamina E do que a soja. Os benefícios da planta não tinham ainda sido explorados anteriormente pelos escoceses devido aos problemas relacionados com a sua colheita, e ao sabor amargo das bagas.
Fonte: vidarural.pt

Marlin azul salta para barco e derruba pescador ( Video ).


Um marlin azul de grande porte foi filmado a saltar para dentro de um barco e a derrubar um pescador ao largo do litoral da República Dominicana.

As imagens mostram um grupo de homens a tentar capturar o peixe quando, surpreendentemente, este salta para dentro da embarcação.

O vídeo faz sucesso na Internet.

Fonte: TVI24

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Subida do nível do mar atingiu níveis recorde em 2012



O risco que as empresas enfrentam por via das mudanças climáticas está de novo em destaque – um novo relatório confirmou que 2012 foi um dos 10 anos mais quentes de sempre, com a subida do mar a atingir níveis recorde e a quantidade de gelo no Oceano Árctico em mínimos igualmente históricos.
Os cientistas norte-americanos emitiram um relatório anual que detalha uma série de indicadores climáticos globais importantes, incluindo informações sobre as temperaturas médias, eventos climáticos extremos, degelo no Árctico e nível do mar. O documento, produzido por especialistas da National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA), conclui que, dependendo do conjunto de dados usados, 2012 foi o oitavo ou nono ano mais quente já registado em todo o mundo.
Os Estados Unidos e a Argentina contaram com o seu ano mais quente e inúmeras outras regiões experimentaram níveis médios mais elevados de condições meteorológicas extremas.
O relatório também revela que a extensão do gelo marinho no Árctico atingiu no ano passado o recorde mais baixo de sempre, ao mesmo tempo que o nível das águas do mar subiu para níveis recorde.
Quanto às concentrações de gases com efeito de estufa, continuaram a aumentar. Na Primavera de 2012, a concentração atmosférica de CO2 ultrapassou, pela primeira vez, as 400 partes por milhão em vários locais de observação do Árctico.
Segundo o Business Green, o relatório foi projectado para fornecer informações precisas aos decisores políticos, aos governos e às empresas para que os ajudem a preparar-se para um futuro extremo por via das mudanças climáticas.
“Muitos dos eventos que tornaram 2012 num ano tão interessante fazem parte das tendências de longo prazo que vemos num clima variável e em mudança. Os níveis de carbono estão a subir, o nível do mar está a subir, o gelo do mar Árctico está a derreter e o nosso planeta como um todo está a tornar-se num lugar mais quente”, disse Kathryn Sullivan, da NOAA.
Todas as empresas, incluindo as pequenas, precisam estar cientes dos riscos que as alterações significam e preparar-se para lhes dar uma resposta de forma adequada.
Fonte: GreenSavers.

Onda gigante faz 30 feridos (vídeo)


Rio ganhou força com tufão e atingiu turistas que estavam a fotografar.

Uma onda gigante derrubou o parapeito da margem do rio Qiantang, no leste da província de Zhejiang, China, ferindo pelo menos 30 pessoas. 

A onda ganhou força com um tufão que passou perto e acabou por atingir os turistas que estavam no local a fotografar a força do rio.

Fonte: TVI 24

Criatura estranha encontrada em praia espanhola ( Vídeo ).


Cadáver de animal com chifres e quatro metros de cumprimento intriga especialistas.

Os especialistas ainda não conseguiram identificar a espécie a que pertence o estranho animal marinho encontrado morto por banhistas, no dia 15 de Agosto  numa praia da localidade de Luis Siret, em Almería, Espanha. 

De acordo com o site espanhol «Ideal», funcionários do Serviço de Protecção da Natureza (Seprona) e da Associação de Defesa da Fauna Marinha (Promar) estão a analisar as imagens feitas do animal, que mede cerca de quatro metros, para tentar fazer a identificação. Até o momento, apenas foi descartada a hipótese de se tratar de um mamífero. Os especialistas acreditam que pertence a uma espécie de peixe.

«Tivemos acesso às imagens dos restos encalhados na areia, ali lançado, provavelmente, por fortes ondas. As fotos estão a ser enviadas a especialistas na tentativa de identificar o espécime. À primeira vista parece um tipo de peixe, porém o estado de decomposição dificulta o reconhecimento», afirma o coordenador da Associação de Defesa da Fauna Marinha, Francisco Toledano.

O mesmo responsável acrescenta que «é difícil saber de que se trata. Está muito decomposto. Talvez consigamos saber alguma coisa se analisarmos os ossos, mas para termos a certeza é necessário fazer uma análise genética e isso é muito caro», disse.

Toledano diz que já partilhou informações com outros pesquisadores sobre a possível origem do peixe. «Imagino que esse animal tenha sido enterrado em algum local», explicou, ao comentar a presença de supostos chifres na criatura. Para Francisco Toledano, os ossos de outros animais podem ter-se juntado ao peixe gigante.

Fontes oficiais informam que não foi feita análise de ADN, já que nenhuma entidade se prontificou a arcar com os custos da análise. As autoridades que cuidam da fauna marinha e a Guarda Civil local removeram o animal do local na sexta-feira, dia 16 de agosto. O site «Huffington Post» noticia que os restos do animal tiveram de ser enterrados, devido ao grau de decomposição, e que agora os estudos são feitos apenas a partir das imagens.

Alguns boatos chegaram a mencionar que o peixe tem alguma relação com um incidente que houve em Palomares, localidade próxima da praia onde a criatura foi encontrada. No fim da década de 1960, caiu na região uma bomba radioactiva de um avião norte-americano. Acredita-se que o artefacto tenha contaminado a área e prejudicado a fauna.

A imagem do peixe com chifres e de quase quatro metros de altura começou a tornar-se viral no Facebook no sábado, dia 17 de Agosto  Vários internautas começaram a atribuir nomes à criatura como «peixe mutante», «dinossauro aquático» ou «peixe-touro».

Fonte: TVI 24

Morreu o Sapal, o mais jovem golfinho do Sado


Poucos dias depois de ter sido visto pela primeira vez a nadar junto às fêmeas do grupo de golfinhos-roazes do Sado, o Sapal foi encontrado morto na sexta-feira passada. A cria recém-nascida era o mais jovem elemento da população que conta agora com 26 golfinhos.
Ainda tinha a barbatana dorsal ligeiramente dobrada, devido ao tempo (12 meses) passado no útero da mãe, a Ligeiro. Foi ela que deu o alerta na sexta-feira à tarde. “Vimos a mãe a tentar manter a cria à superfície, a fazer o ritual da morte”, como se estivesse a empurrá-la para a ajudar a respirar, descreve Pedro Narra, da empresa Vertigem Azul, que faz observação de golfinhos no Sado.
Os rituais continuaram até ao dia seguinte, conta, descrevendo um cenário “triste”, que “parecia um funeral”. O irmão do Sapal acompanhava a mãe enquanto esta tentava em vão reanimar a cria. Por volta do meio-dia, os técnicos da Reserva Natural decidiram retirar da água o corpo do golfinho, que deverá agora ser submetido a uma necrópsia, para apurar as causas da morte. O problema é que, regra geral, "os resultados demoram a aparecer e são quase sempre inconclusivos", lamenta Pedro Narra.
“Os sons emitidos pela mãe ouviam-se fora de água”, recorda. A Ligeiro ficou perto da embarcação até não poder mais . “No dia seguinte apareceu o Asa, acho que ouviu os sons e veio ao funeral”, acredita o responsável da Vertigem Azul. O Asa voltou ao estuário onde já foi uma estrela – há 14 anos foi içado por um helicóptero da Força Aérea, resgatado de um esteiro onde tinha ficado preso, tudo filmado pelas câmaras de televisão. Como ele, voltaram também outros dois roazes que já não eram vistos desde Junho. “Já só falta o Guilhas.”
Não é a primeira vez que morre uma cria no estuário do Sado, onde se encontra a única população de golfinhos residente em Portugal. Mas cada caso é visto com preocupação por quem acompanha e chama pelo nome os roazes-corvineiros [Tursiops truncatus]. O Sapal teria poucas semanas de vida – foi visto pela primeira vez no dia 7 – e as crias recém-nascidas são muito sensíveis, tal como as mães. “É como uma mulher que dá à luz, se tem um momento de stress pode perder o leite. Eles têm que mamar e o stress é prejudicial”, lembra Pedro Narra.
Durante o Verão não faltam barcos no estuário à procura dos golfinhos. Às embarcações com licença marítimo-turística somam-se os barcos de recreio de particulares. E nem sempre se respeitam as normas do regulamento: por exemplo, manter uma distância de 30 metros em relação ao grupo de golfinhos mais próximo, não ficar mais do que 30 minutos junto aos animais e não exceder a sua velocidade de deslocação. Há também quem se queixe da falta de fiscalização por parte das autoridades marítimas.
Quando deu a notícia do nascimento do Sapal, o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) lembrava que as primeiras semanas são cruciais para a sobrevivência dos golfinhos, pelo que “não é desejável que um grande número de embarcações permaneça nas proximidades do grupo”.
O ICNF pedia ainda que as observações de cetáceos, uma das actividades que mais atrai os turistas ao Sado, na região de Setúbal, fossem dirigidas a outros roazes nos próximos tempos.
Contactado nesta segunda-feira pelo PÚBLICO, o ICNF confirmou a morte do Sapal e o ritual descrito por Pedro Narra: "o corpo do roaz estava a ser transportado pela progenitora que se afastava sistematicamente das embarcações que se tentavam aproximar.
Fonte: Público.

Roterdão foi o primeiro porto europeu a receber o Triple-E da Maersk



O porto de Roterdão foi o primeiro porto europeu a receber o primeiro navio da série Triple-E da Maersk, o maior porta-contentores do mundo com capacidade para 18.000 teus. 

O navio “Maersk Mc-Kinney Moller” é o primeiro a estar operacional da série Triple-E e supera em 2.500 teus a capacidade do até agora maior porta-contentores do grupo, o “Emma Maersk”.

A chegada do “Maersk Mc-Kinney Moller” a Roterdão coincidiu com a apresentação de Nils S. Andersen, CEO da Maersk, dos resultados do grupo Maersk no segundo trimestre, no qual o lucro caiu 11% passando dos 965 milhões de dólares para os 856 milhões. Ainda assim, o responsável destacou o resultado positivo da Maersk Line e da APM Terminals.

Fonte: Cargo

Morreu a turista alemã atacada por tubarão



A jovem alemã que ficou sem um braço depois de ser atacada por um tubarão no Hawaii morreu nesta quarta-feira, uma semana depois do acidente.

Jana Lutteropp, de 20 anos, que corria perigo de vida, morreu no centro hospitalar do Maui, comunicou a porta-voz do hospital, Carol Clark. 

No dia do incidente, um professor californiano que ali se encontrava de férias ouviu os gritos da jovem e entrou de imediato na água para a acudir. Rick Moore conseguiu resgatar Lutteropp para terra, que perdeu várias vezes a consciência.

Não se sabe que espécie de tubarão atacou a jovem, pois ninguém terá avistado o animal, segundo a Associated Press.

As autoridades havaianas estão preocupadas com o número de ataques registados este ano - oito até ao momento -, já depois dos dez que ocorreram em 2012, uma vez que até então os registos apontavam para uma média de três/quatro ataques por ano.

A última morte registada no Hawaii por ataque de tubarão aconteceu em 2004, quando um animal da espécie Tigre arrancou a perna do surfista Willis McInnis, também em Maui


Fonte: TVI 24

Vídeo: Hovercraft enorme chega de surpresa a praia russa



O que o Ministério da Defesa russo descreve como um exercício de rotina apanhou desprevenidos os banhistas de uma praia russa que não contavam com a aproximação do enorme veículo, de 60 metros e 550 toneladas, sem dar mostras de abrandar em direcção à areia.
Um domingo de sol e uma praia cheia de banhistas. Foi este o cenário escolhido pela marinha russa para um exercício que culminou com uma chegada aparatosa perante os olhares incrédulos dos presentes.
Testemunhas falam num "rugido terrível" e relatam "ondas enormes" à medida que o hovercraft se aproximava da areia. Em pouco tempo, vários militares saíram do veículo, pedindo aos veraneantes que se afastassem.
Com 60 metros de comprimento e 550 toneladas de peso, o hovercraft militar tem capacidade para transportar 400 pessoas e pode atingir velocidades de 110 km/hora.

Fonte: Visão

Artigo de Opinião: "Novas rotas para o País."



Tal como em 1492, Cristóvão Colombo tentou descobrir uma rota para Índia e acabou por desembarcar numa ilha das caraíbas – Hoje, a existência de um trabalho conjunto entre muitos intervenientes tem feito descobrir novas rotas no mundo, que ajudam a desenvolver o país. Nos últimos anos, Portugal também tem vindo a fazer história nas actividades que se relacionam com Mar. Como porto de águas profundas , único nas suas características existente no país, Sines usufrui do aumento de fluxo de navios e oferece excelentes condições para receber navios de terceira geração. Se, no inicio das operações do terminal de contentores do porto, o primeiro navio tinha 184 metros, hoje, e com uma escala regular a ligar Portugal ao Oriente, o Porto de Sines recebe os maiores navios do mundo. Em menos de 10 anos de actividade, o terminal de contentores do porto alentejano, ultrapassa já os 3700 navios. Mas estes números não teriam razão nenhuma de ser, senão existissem homens e mulheres cujo empenho e dedicação contribuem para projectar o nome de Portugal no mundo.  

Autor: Américo Lourenço
Fonte: Público.

UMinho apoia produção de marisco gourmet



Estando a ser desenvolvido tecnologicamente na Universidade do Minho, o “Sea Inside”, projecto de produção de mariscos de alto valor em aquacultura, partiu da ideia de dois jovens empreendedores e acabou por ser amadurecido no IdeaLab - Laboratório de Ideias de Negócio da TecMinho, onde foi repensado de forma integrada com a realidade comercial actual  adoptando conceitos do mundo do mercado e da gestão.

O ponto de partida foi, segundo David Mota, um dos dois jovens proponentes, “escolher uma espécie de marisco de grande valor no mercado gourmet, que fosse pouco explorada”. Depois, no âmbito da sétima edição do IdeaLab foi preparado um plano de negócios e fizeram-se contactos exploratórios com chefes de cozinha e eventuais clientes. As técnicas e os métodos de produção foram aperfeiçoados, descobrindo esta equipa que “além de estar muito próxima dos melhores métodos do mundo, dispõe de condições mais vantajosas para a produção desta espécie”, explica este engenheiro do ambiente. Em Esposende, onde pretendem instalar a unidade de produção, as condições morfológicas “são excelentes” e também existem algas apropriadas para a alimentação daqueles mariscos. “Já contactamos pescadores que nos fornecerão as algas em regime de outsourcing, já que as têm recolhido para fertilizante, o que é uma mais-valia na redução de custos em relação aos nossos competidores europeus”, acrescenta David Mota. Até meados de 2014 deverá estar instalada a unidade de produção em terra, que captará água no mar e, depois de filtrada, constituirá o habitat ideal para a espécie, contemplando ainda a afectação de três colaboradores em full-time. Nos primeiros três anos, a “Sea Inside” necessita de um milhão de euros de investimento. Os primeiros espécimes para venda só estarão no estado comercializável ao fim de três anos, altura em que terão uma dimensão que lhes garanta vantagem competitiva, e serão, numa primeira fase, para exportação, pois é uma espécie muito popular em países como a França ou Irlanda. Mais tarde, haverá implementação do produto no mercado nacional, para além do desenvolvimento e da produção de outras espécies exclusivas, com potencial semelhante.

Fonte: UMinho



Miss Sumol Cup está de volta a Ílhavo


O melhor surf feminino nacional está de volta nos dias 26 e 27 de Agosto para a nona edição do Miss Sumol Cup que se realiza na praia da Costa Nova, em Ílhavo. A pontuar para o ranking da Liga MOCHE 2013, este evento especial exclusivamente dedicado às senhoras é organizado pela Associação de Surf de Aveiro será mais uma vez determinante para a definição da campeã nacional de Surf em 2013, esperando-se assim muita acção nos dias de competição.

Teresa Bonvalot, de apenas 13 anos, é a actual líder do ranking Liga MOCHE 2013 e vai marcar presença procurando não só a sua 3.ª vitória este ano mas também prometendo dar muitas dores de cabeça às suas adversárias: “Não tenho como objectivo para este ano qualquer título, apenas quero evoluir tecnicamente e evoluir ao máximo o meu surf, mas claro que vou para ganhar e tentar surfar o melhor possível!”

Por sua vez, a bicampeã nacional Open Maria Abecasis, vencedora da edição do Miss Sumol Cup em 2011 e também candidata ao titulo deste ano da Liga MOCHE 2013, não vai querer ficar a trás das suas adversárias. “Espero ganhar, pois serão pontos valiosos para a corrida ao título, mas quero principalmente evoluir e mostrar o que sei fazer. Gosto bastante desta etapa e somos sempre muito bem recebidas em Ílhavo o que poderá também ajudar”, referiu Maria entusiasmada.

A juntar à competição e ao espectáculo, esperamos ver também a tri-campeã Pro júnior Carina Duarte, Camilla Kemp que surpreendeu na 1.ª etapa com uma excelente vitória, entre outras.

O prazo de inscrições termina sexta-feira, dia 23 de Agosto, às 23h59, no site da Federação Portuguesa de Surf (old.surfingportugal.com). O Miss Sumol Cup tem um prémio monetário bruto de 1.000 Euros e atribui 1.000 pontos à vencedora.

Fonte: Record

Vento leva Guincho para a lista das 10 melhores praias "urbanas" da Europa


A CNN elegeu as 10 melhores praias europeias de cidade, de Paris a Praga, passando por Viena. A praia do Guincho foi uma das eleitas, pelas suas condições favoráveis à prática de surf.
A cadeia televisiva reconhece que o Guincho é considerado uma das praias mais bonitas de Lisboa, mas a praia portuguesa está nesta lista por outra razão: o vento. As ondas fortes e a "vibe" surfista que paira na praia leva a CNN a recomendar o Guincho para a prática de kite e windsurf, assim como bodyboard.
Além do Guincho, e de acordo com a cadeia norte-americana, também estas são algumas das melhores praias citadinas da Europa:
Strandbad Wannsee, Berlim: a 20 minutos de comboio do centro da capital alemã, nas margens do Lago Wannsee, está o maior local de banhos público interior da Europa. A piscina e as áreas para banhos de sol ocupam cerca de 35 hectares. A entrada é paga: 4,5 euros para adultos e 2,8 para crianças.
Lido di Venezia, Veneza: a versão italiana de Palm Beach está em Veneza. São 11 quilómetros de extensão de areia, cujo acesso é feito através de ferry boat. Esta praia separa a Lagoa de Veneza do Mar Adriático e, se a visitar durante Agosto, poderá dar de caras com George Clooney ou Helen Mirren, já que o Festival de Cinema de Veneza começa a 28 de Agosto.
Barceloneta, Barcelona: no antigo bairro de pescadores da cidade, está a maior, mais popular e mais central praia de Barcelona. São três quilómetros de extensão de areia e, ao mínimo raio de sol, a praia repleta de estranhas maravilhas arquitectónicas enche. 
Fonte: Dinheiro Vivo.

Europa: Marina de Lagos é das únicas com 5 estrelas


Portugal conta com uma Marina no restrito grupo de portos náuticos com classificação de '5 estrelas' pelo Instituto Internacional de Certificação Marítima (IMCI). A Marina de Lagos é a única de Portugal e uma das nove em toda a Europa a cumprir mais de uma centena de exigências impostas por aquela entidade para obter a classificação máxima.
 
As restantes oito marinas com esta avaliação distribuem-se por cinco países da Europa: quatro encontram-se na Alemanha, duas em Espanha, uma na Itália, uma na Turquia. Portugal tem, assim, uma das três únicas marinas da Península Ibérica certificadas com 5 estrelas pelo IMCI.
 
Inaugurada em 1994, a Marina de Lagos já foi distinguida com o Euromarina Anchor Award, o European Blue Flag, o The Yacht Association's 5 Gold Anchors. 
O Instituto Internacional de Certificação Marítima é a associação acreditada pela Comissão Europeia para a certificação das embarcações de recreio e avaliação dos portos que concorram para a classificação por estrelas.
 
Para ganhar uma estrela, uma marina precisa de reunir um total de 19 requisitos se segurança, qualidade das instalações, serviços ao cliente, oferta gastronómica, lazer e protecção ambiental. No entanto, para conquistar a classificação máxima, é preciso cumprir mais de 120 critérios.

Clique AQUI para consultar a lista completa de portos classificados pelo Instituto Internacional de Certificação Marítima. 

Fonte: Boas Noticias.