terça-feira, 18 de abril de 2017

Surf. Teresa Bonvalot tricampeã


Teresa Bonvalot sagrou-se, pela terceira vez, campeã do Caparica Junior Pro, etapa do Junior Tour da WSL integrada no Caparica Primavera Surf Fest.
A carreira de Bonvalot no Caparica Primavera Surf Fest 2017 ainda não terminou, pois ainda compete no WQS feminino, o Caparica Pro.
«O meu objectivo é vencer em qualquer prova em que participe, pelo que também vou competir no Junior Tour. Mas a prioridade é o WQS», disse Teresa, apontada pelos especialistas como a provável primeira portuguesa a entrar no World Tour feminino.
Fonte: Ionline

Xávega passa a contar para as quotas de pesca


A ministra do Mar confirmou aos representantes da pesca que o Governo prepara nova legislação para regulamentar a chamada arte xávega.

Ana Paula Vitorino manteve recentemente uma ronda de diálogo com as partes envolvidas naquele tipo de pesca artesanal ainda muito presente, com várias campanhas em actividade nas zonas do Norte e Centro do País.

A ministra adiantou aos representantes das entidades, municípios, pescadores e armadores que a legislação terá de ser actualizada à luz das exigências dos regulamentos europeus, "nomeadamente a sua inclusão nas quotas de pesca, além de outros aspectos".
 
Ana Paula Vitorino garantiu aos presentes no encontro que o Governo não irá "descurar" as  vertentes social e cultural "muito importante nas comunidades onde esta arte ainda é praticada".

Em 2013, os armadores representados na Associação Portuguesa de Arte Xávega propôs a criação de quotas para a pesca de carapau com tamanho abaixo dos limites mínimos definidos por lei, interditando a actividade aos barcos que as ultrapassem até final do ano.

Em Janeiro de 2013, o Governo PSD-CDS criou uma Comissão de Acompanhamento da Pesca com Arte Xávega que deu origem a um relatório apresentado em Janeiro de 2015 com diagnóstico e propostas, estas últimas ficaram por sair do papel.

Estava prevista a alteração do número de veículos de tracção motora de apoio à actividade das embarcações e iniciativas para permitir a manutenção do registo na pesca local quando o comprimento de fora a fora ultrapassa os nove metros, assim como aumento da potência propulsora máxima prevista para os respectivos motores.

Alterações que os partidos representados na Assembleia da República apoiaram ao votar por unanimidade a Resolução da Assembleia da República nº 93/2013.

Este tipo de pesca artesanal por arrasto costeiro alagem para terra tinha há dois anos cerca de quarenta embarcações a operação.

Estudo inglês diz que Portugal não gere pescas no interesse público

Um estudo da Fundação Nova Economia, entidade inglesa, indica que Portugal "não está a gerir as pescas no interesse público", seguindo a tendência europeia.


Um estudo da Fundação Nova Economia, entidade inglesa, indica que Portugal “não está a gerir as pescas no interesse público”, seguindo a tendência europeia de “incapacidade geral de obtenção dos melhores resultados para a indústria e para os cidadãos”.
“Embora os totais admissíveis de captura nas águas europeias sejam acordados através de negociações entre os ministros europeus, a distribuição dos direitos de pesca é posteriormente determinada por cada um dos governos. A análise da fundação demonstra que cada um dos Estados-Membros, incluindo Portugal, pode fazer muito mais para garantir um acesso justo às unidades populacionais de peixes”, frisa o trabalho da New Economics Foundation (NEF ou Fundação Nova Economia), instituição com sede em Londres.
O relatório da fundação averigua como 12 Estados-Membros da União Europeia (Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Holanda, Polónia, Portugal, Espanha, Suécia e Reino Unido) tomam essas decisões e as consequências que daí podem advir. “As pescas devem ser não só sustentáveis, como também justas. Portugal pode apoiar os pescadores e as comunidades pesqueiras do litoral através de uma melhor gestão das possibilidades de pesca”, sustenta Griffin Carpenter, um dos economistas que desenvolveu o trabalho da Fundação Nova Economia.
Embora alguns Estados-membros da UE “tenham melhor desempenho do que outros, em todos eles a gestão das pescas se revela dispendiosa e geradora de fraca receita pública”, é também referido, e o acesso à indústria pesqueira para novos operadores “é difícil e a transparência de muitos dos sistemas de possibilidades de pesca é baixa”, adverte a entidade britânica.
Fonte: Observador

Nações Unidas anunciam primeiro festival mundial do oceanos

A ONU anunciou que vai realizar o primeiro Festival Mundial do Oceano no dia 4 de Junho. O evento precederá conferência sobre o tema, que ocorre entre 5 e 9 de Junho, na sede da Organização em Nova Iorque.


A ONU anunciou que vai realizar o primeiro Festival Mundial do Oceano no dia 4 de Junho. O evento precederá conferência sobre o tema, que ocorre entre 5 e 9 de Junho, na sede da Organização em Nova Iorque.
Líderes internacionais devem participar da reunião sobre protecção e sustentabilidade dos oceanos, que visa a incentivar os cidadãos a ajudar a reverter o declínio da saúde dos mares.
O festival, que se concentra no Objectivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 14, é realização pela ONU com a cidade de Nova Iorque e será organizado pela Fundação Global Brian.
O presidente da Assembleia Geral, Peter Thomson, lembrou que a situação do oceano é bastante crítica. Segundo ele, se as tendências actuais continuarem, haverá mais plásticos que peixes na água.
Ele explicou que a poluição marinha ameaça os estoques de peixe, que estão diminuindo no momento. Para Thomson, não existe saída a não ser o desenvolvimento sustentável.
O prefeito de Nova Iorque, Bill de Blasio, por sua vez, reconheceu a importância de as cidades liderarem a protecção contra a degradação por meio do consumo sustentável e através da gestão eficaz dos recursos naturais do mundo.
O presidente da Assembleia Geral da ONU afirmou que Nova Iorque é um modelo não só para os Estados Unidos, mas para todo o mundo sobre como as capitais podem integrar os ODSs em seu planeamento urbano.
Thomson lembrou ainda que 40% da causa para o aumento dos níveis do mar devem-se ao aquecimento dos oceanos. O festival terá ainda uma marcha do oceano que consistirá de um desfile de velejadores na ilha de Manhattan e ao longo de 10 milhas náuticas de Manhattan e Brooklyn do rio Hudson ao Rio Leste, conhecido como East River.
Saiba tudo sobre a conferência dos oceanos em https://oceanconference.un.org.













sexta-feira, 14 de abril de 2017

Turcos interessados no projecto do Terminal do Barreiro


O projecto do Terminal do Barreiro também está a despertar o interesse turco, país de onde virá um investimento na ordem dos 300 milhões de euros só durante 2017. Também o porto de águas profundas na Praia da Vitória (Açores) está na mira, assim como o sector dos estaleiros navais.

No total, o pacote de investimento directo turco em Portugal tem 300 milhões de euros para investir este ano, segundo anunciou a nova Associação Portuguesa de Cooperação com a Turquia, 'The Trade Connection'. Nas palavras de João Pestana Dias, CEO da associação que falou ao DN, os estaleiros navais são uma de três principais áreas de investimento turco para este ano (juntando-se ao turismo de luxo e à habitação). 

Mas o sector portuário é também aposta forte de investimento turco no país, expresso desde logo no investimento da Yilport (Grupo Yildirim). Pestana Dias salienta: «Os turcos têm muito dinheiro disponível para investir e estão a descobrir que Portugal é um país interessante. A maior parte dos turcos não conhece Portugal, nem o potencial do país. Muitos procuram Malta e Dubai para terem vistos gold, mas Portugal tem melhores oportunidades de investimento».

«Estes investimentos turcos têm um horizonte temporal de 10 anos e precisam da chamada paz social» acrescenta o responsável da associação, apontando depois a mira ao sector portuário. 

«Os maiores investimentos nos portos em Portugal têm sido feitos por turcos», defendeu, adiantando que os investidores turcos estão de olho no novo terminal no Barreiro - um projecto que exige um investimento de 600 milhões de euros e que pode contar com 100 milhões de investimento turco. 

Para além desse projecto, os turcos estarão também atentos ao porto de águas profundas na Praia da Vitória, nos Açores.

Já o Embaixador da Turquia, Hasan Gögüs, salientou: «Portugal era desconhecido para a Turquia. Estes 300 milhões de investimentos, alguns deles ainda numa fase muito inicial, são um bom sinal e o valor pode aumentar». 



Pré-Avisos de Greve no Terminal XXI


O Sindicato XXI, que representa a maioria dos Estivadores do Terminal XXI, entregou dois pré-avisos à Concessionária, nomeadamente à PSA Sines. Os dois pré-avisos visam:

. Pré-Aviso de Greve com efeito a partir das 00:00h do dia 29 de Abril de 2017 até à 00:00h do dia 29 de Abril de 2018, com paralisação total das operações realizadas em qualquer período de trabalho suplementar ( antecipações, prolongamento e serviço extraordinário). 
. Pré-Aviso de Greve  com efeito a partir das 00:00h do dia 29 de Abril de 2017 até à 00:00h do dia 13 de Maio de 2017 , com paralisação total das operações realizadas, nas duas últimas horas de cada período de trabalho de cada turno.
Apesar dos vários motivos apresentados, o que motivou a convocação do plenário dos trabalhadores e posteriormente convocação da greve, foi o encerramento das negociações sobre o novo horário de trabalho para os quase 1000 trabalhadores que existem no maior terminal de contentores do país.

Carol Henrique sagra-se vice-campeã na Caparica


A francesa Justine Dupont venceu o Caparica Pro, mas precisou de esperar pela nota da última onda para bater a surfista portuguesa.

A francesa Justine Dupont venceu o Caparica Pro, mas precisou de esperar pela nota da última onda para bater a portuguesa Carol Henrique, que chegou a estar, momentaneamente, na liderança da final desta etapa portuguesa do Circuito Mundial de Qualificação (WQS).
Dupont confirmou o favoritismo que o currículo de ex-competidora do World Tour lhe atribuía à partida, mas a campeã nacional quase lhe estragou as contas, mercê da habitual combatividade que lhe é reconhecida. E isto numa final com ondas muito pequenas e difíceis de surfar que terminou com a norte-americana Marissa Shaw em terceiro posto e a revelação taitiana de apenas 14 anos, Vahine Fierro, em quarto lugar.
"O campeonato foi todo disputado em condições muito difíceis, pelo que foi mesmo uma questão de adaptação", explicou Carol Henrique, satisfeita pelo segundo lugar nesta etapa de 1000 pontos do Circuito de Qualificação Mundial (WQS) feminino.
"Normalmente temos de ir ao estrangeiro para competir no QS pelo que é sempre bom poder competir aqui na Caparica, onde aliás costumo treinar. Perdi na última onda, mas penso que foi um honroso segundo lugar", concluiu a campeã nacional, que este ano luta pela qualificação para o circuito mundial.
Para a campeã do Caparica Pro, Justine Dupont, este triunfo foi particularmente difícil. Depois de uma temporada de Inverno dedicada a perseguir ondas gigantes no Havai, França e Nazaré, onde agora tem residência, a francesa encarou as ondas pequenas da Caparica como um desafio:
"No surf, como na vida, temos de encontrar novos desafios e este campeonato foi um verdadeiro desafio para mim. Estou feliz porque este 'prize money' vai permitir-me fazer mais umas etapas, já que estou sem patrocinador principal. Talvez agora que estou a viver parte do ano em Portugal consiga um patrocinador português, quem sabe?"

Pedro Henrique e Vasco Ribeiro nas meias-finais
No Caparica Pro, as cores portuguesas continuam fortes, com o campeão nacional Pedro Henrique e Vasco Ribeiro a vencerem as suas baterias dos dos quartos-de-final. Menos sorte para Miguel Blanco e Eduardo Fernandes, eliminados nesta fase da competição.
Pedro Henrique atribuiu o sucesso à "estratégia": "O mar esteve muito difícil o dia todo, especialmente de manhã, por isso foi preciso surfar muito na base da estratégia. Este campeonato é importante para colocar o "surf no pé", ou seja, adquirir ritmo competitivo ara o restante da temporada internacional. Nesse sentido, está a ser muito bom."
Referência também para Gony Zubizarreta, surfista espanhol que reside e compete em Portugal e que também garantiu um lugar nas meias-finais, vencendo categoricamente o seu heat com as duas ondas mais pontuadas do dia (8.33 e 8.40).

Theo Julitte triunfa no Caparica Junior Pro
No Caparica Junior Pro, o francês Theo Julitte sagrou-se campeão desta etapa do Junior Tour da WSL, batendo o taitiano Kauli Vaast, o basco Ruben Vitoria e o francês Marco Mignot.
Os melhores portugueses foram João Moreira e o local da Caparica Guilherme Ribeiro que ficaram pelas meias-finais.

Fonte: DN